Brasília reserva muita cultura e lazer. A pé, de ônibus. E de graça

Preparamos roteiros que permitem conhecer aspectos importantes da nossa capital federal, sem precisar gastar muito; confira fotos


Por Wagner de Alcântara Aragão (@waasantista) | De Brasília (DF)

Conhecer as obras arquitetônicas de Oscar Niemeyer e Lúcio Costa, especialmente aquelas que abrigam as sedes dos poderes da República e as superquadras do Plano Piloto, está entre os passeios indispensáveis em Brasília.

Um roteiro gratuito, feito a pé.

Mas a capital federal reserva outras atrações que podem ser aproveitadas mesmo estando sem carro, e sem gastar muito também.

Há equipamentos de cultura e lazer que não custam nada e podem ser acessados por ônibus, metrô ou caminhando – as calçadas largas e arborizadas das quadras, superquadras e entrequadras são convidativas para andar sem pressa.

Separamos algumas dicas.

ESPLANADA DOS MINISTÉRIOS E PRAÇA DOS TRÊS PODERES

O trajeto inclui a icônica Catedral, aberta o dia todo a visitação, e o percurso se estende pelos prédios dos ministérios, chegando à Praça dos Três Poderes. Nela, estão o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Palácio do Planalto.

É possível chegar bem pertinho dessas edificações e tirar fotos. Indo pela calçada à direita, e não pelo gramado central da Esplanada, pega-se sombra de mangueiras e outras árvores em quase todo o trajeto. Com sorte, dá para apanhar algumas frutas caídas de madura.

O Congresso – Câmara dos Deputados e Senado – tem esquemas de visitação. O ideal, antes, é consultar como está o funcionamento, o agendamento (ver aqui). A visita é gratuita e muito enriquecedora.

PALÁCIO DA ALVORADA

A residência oficial da Presidência da República fica a menos de meia hora, de ônibus urbano, da zona central de Brasília.

Há uma linha (0.104) que sai da Rodoviária do Plano Piloto e deixa o passageiro à entrada do Alvorada. A tarifa é de R$ 2,70. Os intervalos são demorados, então é bom, antes, consultar os horários de saídas, pelo site <https://dfnoponto.semob.df.gov.br/>. O sistema é confiável.

Desembarcando do coletivo, chega-se à frente do Palácio. Não há grades, apenas um tanque longitudinal, com carpas, separando a área externa da área pertencente à residência. Dá para tirar variadas fotos.

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

O campus da Universidade de Brasília (UnB) é uma boa dica de passeio também.

Porque suas edificações têm arquitetura única. Além disso, conta com extensa área verde e plana, repleta de elementos vegetais do Cerrado – praticamente um parque.

Se a visita for em dia letivo, é possível almoçar no restaurante universitário, que fica em grande prédio de concreto aparente, de amplas janelas, bem ventilado e iluminado. O restaurante atende os visitantes também (cobrando, evidentemente, mais do que cobra dos universitários – em novembro de 2023 a refeição para pessoas de fora saía por R$ 16).

Da Rodoviária do Plano Piloto, são duas linhas de ônibus até a UnB: a 0.110 e a 110.2. Estas têm intervalos pequenos entre um veículo e outro, ao menos em dias letivos. O trajeto leva em torno de 10 a 15 minutos.

CENTROS CULTURAIS DOS BANCOS PÚBLICOS

O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e a Caixa Cultural voltaram a contar com farta programação, e as unidades em Brasília merecem demais uma visita.

O CCBB fica em ampla área verde perto do Lago Paranoá. Além de exposições nas galerias e ao ar livre, conta com sessões de cinema, peças teatrais e shows musicais. Há um espaço aberto para crianças, além de atividades pontuais também destinadas ao público infantil.

A entrada ao complexo é gratuita, bem como o acesso à maior parte das atrações. Há de se conferir, quando for fazer o passeio, apenas quanto à programação de cinema, música e teatro disponível (ver aqui), a fim de averiguar se tem ou não cobrança de ingresso. Mesmo que haja, costumam ser valores acessíveis.

Da Rodoviária do Plano Piloto, a melhor opção de ônibus é a linha 0.103. O trajeto dura em torno de meia hora, e o ponto de embarque e desembarque é exatamente à entrada do CCBB. A tarifa é de R$ 3,80. Os intervalos são demorados, então é bom antes consultar os horários para não perder tempo esperando (https://dfnoponto.semob.df.gov.br/).

Por sua vez, a Caixa Cultural fica no Setor Bancário Sul, zona central. Da mesma forma, a programação é diversificada: artes visuais, música, teatro. As exposições têm entrada franca; os demais espetáculos, em regra com ingressos a valores acessíveis (confira aqui a programação).

Agora, o grande encantamento da Caixa Cultural está na edificação ao lado, no prédio sede da Caixa. Por si só, a arquitetura da construção impressiona, mas a beleza vai além: está nos vitrais do térreo.

Desenhos representam elementos da geografia e cultura dos estados brasileiros. A luz do Sol sobre os vitrais causa um efeito imagético impressionante. O acesso é gratuito.

CAMINHADA PELAS SUPERQUADRAS

Um roteiro interessante é, da Caixa Cultural, seguir caminhando pela Asa Sul, pelas quadras e superquadras.

O percurso é plano, arborizado, silencioso e tranquilo. No trajeto, aparecem os núcleos comerciais das entrequadras – com padarias, cafés, supermercados, restaurantes, bares.

Com um pouquinho de disposição, vale chegar até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, projeto de Oscar Niemeyer menos conhecido que outras construções de Brasília, contudo tão bela quanto. Fica à Entrequadra Sul 307/308.

Perto dali está o Cine Brasília. Sobre esta atração – uma das salas de cinema em atividade mais antigas do Brasil, e mais importantes na história do audiovisual nacional – escrevemos aqui.

PARQUE DA CIDADE E TORRE DE TV

Outras duas dicas, gratuitas, ao ar livre, são o Parque da Cidade e a Torre de TV.

O Parque da Cidade oferece o que equipamentos do gênero têm: pistas para corrida e caminhada, brinquedos para crianças; dependendo da época do ano, há eventos especiais por ali.

Conta com um detalhe decisivo: a vegetação típica do Cerrado.

Na Torre de TV e seu entorno estão o Estádio Nacional Mané Garrincha e o Eixo Cultural Ibero-Americano.

Aos domingos, a mega feira sob a Torre de TV ferve – de arte e cultura do Brasil Central, incluindo apresentações musicais.

Ficamos, com estas dicas, apenas na circunscrição do Plano Piloto. Mas, em outras regiões administrativas (Guará, Águas Claras, Taguatinga, para citar às ao sul, região que é servida por linha de metrô), há atrações também. Quem sabe, numa próxima trazemos aqui à Rede Macuco.


Imagem em destaque: grafite em homenagem a Ruth de Souza, na UnB. Foto: @waasantista




CONTAMOS COM VOCÊ!
Para nos mantermos e continuarmos a produzir conteúdo útil.
Você pode nos ajudar. Você pode:
> Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo pix: redemacuco@protonmail.com
> Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
> Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 2 =