Os fatos de 2023 que precisam de ser cobrados em 2024

Garimpos ilegais na Terra Indígena Yanomami. 8 de janeiro. Assassinato de Mãe Bernadete. “Operação” Escudo. A sabotagem do Banco Central ao crescimento econômico. Sem falar em pendências de anos anteriores, como a responsabilização pelos crimes contra Marielle Franco e da pandemia de covid-19


Da Rede Macuco | De Santos (SP), São Paulo (SP) e Curitiba (PR)

Logo no início de 2023, tivemos, em 8 de janeiro, os atentados golpistas em Brasília.

As apurações se iniciaram imediatamente, responsabilizações estão em curso, mas precisam de ser aprofundadas em 2024.

[E os crimes da pandemia? Onde estão as autoridades competentes – Ministério Público Federal, Judiciário – que, ao que consta, não deram resposta aos resultados da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Covid-19?]

Mas voltemos aos episódios de 2023…

Devem-nos respostas também as autoridades encarregadas de averiguar os crimes cometidos pelos integrantes do governo nacional anterior, contra os Yanomami.

A crise humanitária que veio à tona no começo de 2023 decorre de investidas deliberadas de desproteção, fragilização e invasões dos territórios daqueles e de outros povos indígenas.

No início de 2023 as investigações para apurar os responsáveis por matar Marielle Franco (e o motorista, Anderson) caminhavam para, enfim, desvendar o crime.

Contudo, série de assassinatos de figuras chaves para se elucidar tudo (as chamadas queimas de arquivo) dificulta conclusões. Mas não podemos nos conformar. Quem mandou matar Marielle e Anderson?

E quem mandou matar Mãe Bernadete?

O descalabro da Operação Escudo vai ficar por isso mesmo? Não pode! Chacinas em comunidades no litoral de São Paulo com a justificativa de “combate ao crime” não podem ser toleradas. Ministério Público do Estado, cadê?

A reconstrução de políticas públicas foi bem sucedida no primeiro ano do Governo Lula.

Assim como a tomada de medidas para aliviar as contas do povo – como o Desenrola Brasil – e para a geração de empregos (Novo PAC, Minha Casa, Minha Vida).

O Banco Central, com esse absurdo de “independente” (independente coisa nenhuma: sob as garras do mercado), precisa fazer sua parte, reduzindo a taxa básica de juros a níveis civilizados. É inadmissível um órgão público trabalhar explicitamente para frear – para sabotar! – o crescimento da economia.

Assim não pode, assim não dá, já dizia o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O que mais não pode, não dá?

Trouxemos uma pequena mostra, entretanto seguramente há muito, muito mais fatos de 2023 que precisam de ser cobrados em 2024. Pode deixar nos comentários um que não tenha sido citado aqui.


Imagem em destaque: área de garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami, vista em sobrevoo ao longo do Rio Mucajaí, município de Alto Alegre (RR), em 9 de fevereiro de 2023. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil




GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 6 =