Estudo desenvolve teste rápido para diagnóstico de tuberculose

Pesquisadores da Universidade Federal de Sergipe lideram pesquisa envolvendo Brasil, Reino Unido e Suíça; já há aplicação em unidades de saúde de Aracaju


Por Josafá Neto, da UFS | De São Cristóvão (SE)

Pesquisadores do Brasil, Reino Unido e Suíça estão desenvolvendo um estudo para testar novas tecnologias para o diagnóstico da tuberculose, com o objetivo de melhorar o rastreio da doença em sete países com alta predominância de casos no mundo.

Os professores do departamento de Medicina e do programa de pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Victor Santana Santos e Ricardo Queiroz Gurgel, lideram a pesquisa no Brasil.

“Nós vamos incorporar a aplicação de testes rápidos, que já são uma tecnologia bastante comum para identificar doenças como dengue, zika e chikungunya, só que agora para acelerar o rastreio da tuberculose,” explica o professor Victor Santos.

SERGIPE E ALAGOAS

Sergipe e Alagoas foram os dois estados selecionados para receber o estudo no país.

Três unidades básicas de saúde de Aracaju foram selecionadas para a realização da pesquisa em Sergipe. São elas: Osvaldo Leite e Celso Daniel, no Bairro Santa Maria, e Anália Pina, no Bairro Santos Dumont.

Com o auxílio de equipes de saúde do município, os pesquisadores estão iniciando a busca ativa por casos suspeitos nos dois bairros das zonas Norte e Sul da capital sergipana.

As amostras coletadas serão analisadas em parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública do Estado de Sergipe (Lacen-SE).

“Esse intercâmbio, com a possibilidade de transferência de tecnologia, será muito útil para nós, principalmente para o laboratório de Micobactérias, que abriga a área de tuberculose, para aumentar nosso know hall”, ressalta o superintendente do Lacen-SE, Cliomar Alves.

FOCOS DA INVESTIGAÇÃO

Entre os focos da investigação, estão a situação de pessoas que vivem com HIV/Aids, diante da alta incidência de mortes por tuberculose na população com o vírus, e a vulnerabilidade socioeconômica no acesso à atenção primária em saúde.

Coordenado pela Escola de Medicina Tropical de Liverpool, na Inglaterra, o projeto intitulado Start 4 all também acontece em Bangladesh, Camarões, Malaui, Nigéria, Quênia e Vietnã. O trabalho é financiado pela agência global de saúde Unitaid.

O pesquisador da Stop TB Partnership, Jacob Cresvell, realizou a primeira visita ao Brasil para acompanhar os preparativos para o início da pesquisa de campo nos próximos dias.

A primeira fase do estudo deve durar um ano. Ao todo, o projeto tem duração prevista de quatro anos.

“O que tentamos aplicar com esse estudo é levar novas tecnologias, combinando tudo isso para encontrar maneiras de diagnosticar as pessoas mais cedo e iniciar o tratamento, para que possamos diminuir o déficit de 3 milhões de pessoas que não identificamos ano a ano”, pontua Jacob.


Imagem em destaque: ambiente de estudos da UFS. Foto: reprodução TV UFS




GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Um comentário sobre "Estudo desenvolve teste rápido para diagnóstico de tuberculose"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 1 =