Pelo ensino e pesquisa, São Tomé e Príncipe fica mais perto do Brasil

Missão internacional da Unilab, no país africano, termina com a assinatura de acordos de cooperação e protocolos de intenção em educação, agricultura sustentável e outros temas


Por Sandra Narita, da Unilab | De São Tomé (São Tomé e Príncipe)

Uma comitiva Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), instituição de ensino superior brasileira com sede em Redenção (Ceará), criada em 2010, esteve recentemente em São Tomé e Príncipe, na Universidade de São Tomé e Príncipe, para firmar parcerias que aproximam o Brasil do país africano.

Assinatura de acordos de cooperação e protocolos de intenção, diálogo sobre contrapartida de bolsas de estudos para estudantes são-tomenses, além de encontro com egressos, integraram a agenda.

Realizada em novembro e dezembro, essa foi a primeira missão internacional da Unilab em São Tomé e Príncipe.

PELA EDUCAÇÃO

A comitiva da Unilab teve como um dos objetivos entender demandas das instituições de educação e governamentais são-tomenses, propor em conjunto encaminhamentos para ofertar contribuições, além de, em via de mão dupla, dialogar sobre as necessidades da universidade, para sua atuação no âmbito da internacionalização.

A comitiva da Unilab também apresentou relatório sobre formação de quadros, no qual consta 89 estudantes formados e 39 discentes graduandos, oriundos de São Tomé e Príncipe.

“Nós cumprimos com aquilo que viemos fazer aqui, estamos levando na mala acordos e parcerias”, relatou a vice-reitora da Unilab, Claudia Carioca.

Entre esses acordos está o de cooperação acadêmica com a Universidade de São Tomé e Príncipe, por meio da execução do projeto “Inovação Sustentável da Agricultura em São Tomé e Príncipe: Ferramenta de Ensino e Aprendizagem”, no âmbito do Programa de Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural, iniciado no final de 2022.

Essa pós-graduação visa, entre outros objetivos centrais, a formação e a capacitação de profissionais na área de agricultura sustentável e intercâmbio de docentes.

INTERCÂMBIOS

Outro acordo assinado entre a Unilab e a USTP é o de cooperação acadêmica, cultural e técnica, que visa facilitar o intercâmbio de docentes, discentes e técnico-administrativos, com fins de criação de um Centro de Ensino a Distância na Universidade de São Tomé e Príncipe.

Esse acordo também tem a proposta de ofertar inicialmente cursos de pós-graduação pela Unilab, no âmbito desse Centro de EAD, nas áreas de Ciência; Literaturas Africanas de Língua Portuguesa; e Metodologias Interdisciplinares e Interculturais para o Ensino Fundamental e Médio.

“Isso mostra que estamos cumprindo o objetivo da nossa missão: formar quadros e também auxiliar os países na transferência de tecnologia e saberes. Estamos aqui numa troca”, afirmou a pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais da Unilab, Artemisa Candé Monteiro, durante encontro com membros da gestão da Universidade de São Tomé e Príncipe.

O reitor da instituição são tomense, Peregrino da Costa, destacou que o relacionamento e tratativas com a Unilab já vem sendo realizados desde outras gestões da universidade.

“Incluímos a Unilab como uma das parceiras prioritárias nas nossas relações como o Brasil”, assinalou.

ALIMENTOS COM QUALIDADE

Sobre o acordo com a Unilab relacionado à pós-graduação, a vice-reitora da USTP Alzira Rodrigues sublinhou que atende a uma demanda específica e prioritária no país. “É um curso de mestrado que tem um potencial, tendo em conta as características de São Tomé e Príncipe, um país agrícola. E a nossa cidade deve-se ter pequenos agricultores que possam nos fornecer alimentos com qualidade. E esta qualidade não tem a ver apenas com tamanho, mas também com a qualidade do produto em termos de agrotóxicos. Queremos trabalhar com eles no sentido de que a utilização de agrotóxico seja cada dia menor, de forma que caminhe para uma agricultura biológica”, apontou.

A missão internacional e institucional a São Tomé e Príncipe também incluiu diálogos e estreitamento de laços com integrantes do Ministério de Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades; do Ministério da Educação, Cultura e Ciências; Instituto de Educação Superior; Instituto de Saúde Sá Machado; e embaixada.

OUTROS TEMAS

Foram discutidas ainda questões sobre mobilidade acadêmica; capacitação de docentes; e acesso aos conteúdos curriculares, sobretudo dos cursos de Saúde, para cumprimento da internacionalização de currículos, em consonância com as diretrizes da Unilab.

Também entrou no centro do diálogo com as instituições a necessidade de divulgação a cidadãos são-tomenses sobre os cursos ofertados pela Unilab, em diversas áreas do conhecimento.

PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

O projeto de internacionalização da Unilab visa sobretudo a formação de quadros, para atender as necessidades e lacunas dos países parceiros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), especialmente dos Palops (Países Africanos de Língua Portuguesa).


Imagem em destaque: Vice-reitora Claudia Carioca e reitor da Universidade de São Tomé e Prínicipe Peregrino Costa, em momento de assinatura de acordos. Foto: divulgação Unilab



Livro ‘Santos, 1989’: clique aqui para saber mais e, se gostar, adquirir um exemplar


GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 7 =