Projeto em escola estadual do Pará recupera nascente na Amazônia

Turmas do colégio Manoel Lobato, em Primavera, realizaram limpeza da área e plantio direto de mudas nativas; meta agora é construir viveiro


Por Vinícius Leal, da Agência Pará | De Primavera (PA)

A preocupação com o meio ambiente faz parte do processo de ensino-aprendizagem na Escola Estadual Manoel Lobato, em Primavera, município do nordeste do Pará.

O Projeto “Trilha das Águas” surgiu em 2017, com o objetivo de identificar, georreferenciar e caracterizar as principais fontes causadoras de impactos ambientais nas nascentes urbanas e rurais do município.

Agora em novembro de 2022, foi realizada uma terceira ação do projeto.

METODOLOGIA

Para a recuperação ambiental das fontes d’água, a iniciativa baseia-se na metodologia proposta pelo Programa Especial de Proteção de Nascentes, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

A prática consiste na limpeza (foto abaixo) e plantio direto de mudas nativas em áreas que apresentam alto grau de degradação.

Estudantes limpam área e plantam mudas. Foto: Agência Pará

Na ação desta vez, de revitalização ecossistêmica de áreas degradadas, houve o plantio de aproximadamente 250 brotos de árvores nativas em torno da nascente do Rio Santa Maria, afluente do Rio Bacabal, um dos principais cursos d’água de Primavera.

Para essa atividade, a escola contou com a participação de quatro professores, da coordenação pedagógica, e 40 alunos das turmas da 1ª e 2ª séries do ensino médio integral.

PROTAGONISMO DOS ESTUDANTES

De acordo com o professor João Rodrigues da Silva, coordenador da ação, iniciativas dessa natureza têm sua importância por promover e destacar o protagonismo juvenil na resolução de problemas reais que envolvem homem e natureza, principalmente no contexto da degradação ambiental de nascentes.

“A ideia é promover uma aprendizagem diferenciada, que venha contribuir para a formação de aspectos formativos dos jovens, estimulá-los nas suas potencialidades e contribuir no contexto socioambiental em que vivem”, ressalta.

VIVEIRO

O educador diz, ainda, que a próxima meta do projeto inclui a construção de um viveiro próprio, até o final deste ano.

A estrutura terá capacidade de produzir aproximadamente 4 mil mudas de essências florestais, que serão usadas na revitalização de mais três nascentes, além da recuperação de pelo menos 10 hectares de mata ciliar degradada ao longo do Rio Bacabal.

PARCERIAS

O projeto desenvolvido nas escolas estaduais, promovido pela Secretaria de Estado da Educação, conta com o apoio técnico das secretarias de Agricultura, Educação e Meio Ambiente de Primavera; da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-PA). Essas instituições contribuíram com orientações técnicas, apoio logístico e a doação de mudas de espécies nativas.


Imagem em destaque: estudantes posam para foto depois da atividade. Foto: divulgação Agência Pará




GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 6 =