Projeto recupera Cariri Paraibano para a produção de alimentos

‘Nexus Caatinga’ é desenvolvido pela UFPB e já colhe resultados com a cultura de abelhas e a produção de feijão e frutas como goiaba


Por Elidiane Poquiviqui e Aline Lins, da UFPB | De Prata (PB)

A região da Caatinga é uma área socioecológica de clima semiárido que abrange cerca de 912km² do Nordeste brasileiro – na qual vivem mais de 28 milhões de pessoas – e o Cariri paraibano, uma sub-região da Caatinga, possui grande parte marcada por áreas degradadas.

Um grupo de pesquisadores do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), situado no município de Areias, está avaliando e replicando um sistema sustentável produtivo na região com os menores índices pluviométricos da Caatinga.

O projeto de pesquisa “Replicabilidade de um sistema sustentável e altamente produtivo na região mais seca do Brasil”, ou Nexus Caatinga, está sendo realizado com a ideia de possibilitar o desenvolvimento econômico e social da Caatinga, mantendo e promovendo um meio ambiente adequado à vida, com a integração das seguranças hídrica, energética e alimentar, em uma abordagem conhecida como Nexus.

OBJETIVO

O objetivo é replicar o sistema sustentável e promover uma produção agropecuária e de alimentos no semiárido com eficiência, baixo custo, e produtividade comparável aos mais altos índices de produtividades nacional e internacional.

Na primeira fase do projeto, foram testados alguns princípios e avaliado o potencial de replicabilidade do modelo de sistema sustentável.

Um exemplo foi a prática realizada na Fazenda São Paulo dos Dantas, no município da Prata (PB), onde o proprietário Delmiro Dantas obteve como resultados o aumento nos índices de produtividade agropecuária, conservando a maior parte da biodiversidade local.

MELHORAR A VIDA

As paisagens agrícolas sustentáveis são iniciativas que fazem o melhor uso dos bens e serviços da natureza e das tecnologias e práticas humanas para melhorar a vida dos trabalhadores rurais, aumentando a produtividade agrícola, protegendo a biodiversidade e mantendo serviços ecossistêmicos dos quais a própria agropecuária depende.

De acordo com o professor Helder Farias de Araújo, várias ações do projeto já possibilitaram resultados de interesse para o desenvolvimento sustentável na Caatinga, como exemplo, o desenvolvimento de um modelo de paisagem sustentável que beneficia simultaneamente a manutenção de água no solo, a produção de energia de biomassa e a produção de uma diversidade de alimentos.

“Agora, estamos iniciando com algumas unidades experimentais do modelo com alguns pequenos produtores nos municípios de Cabaceiras, São José dos Cordeiros e na própria Estação Experimental de São João do Cariri da UFPB”, informa o docente.

RESULTADOS

Outros exemplos de resultados do projeto até o momento foram a avaliação do desempenho de variedades agrícolas de sorgo e feijão em regime de sequeiro, um estudo sobre o papel da cobertura natural ao redor do campo agrícola na redução dos danos às culturas e da abundância de pragas, o aumento da produção de goiabas mediado pelo serviço de polinização das abelhas, além de um estudo sobre o papel da estrutura da paisagem na reorganização de sua capacidade produtiva após alterações climáticas.

O projeto Nexus Caatinga conta com mais de 30 subprojetos em andamento e já atuou diretamente na formação de mais de 50 estudantes de iniciação científica, mestrado e doutorado.

O projeto é apoiado na Chamada MCTI/CNPq nº 19/2017 – Nexus I: Pesquisa e Desenvolvimento em Ações Integradas e Sustentáveis para a Garantia da Segurança Hídrica, Energética e Alimentar nos Biomas Caatinga e Cerrado.

Na UFPB o Nexus Caatinga é coordenado pelo Prof. Helder Farias de Araújo e conecta cientistas, estudantes, técnicos, gestores públicos, organizações não-governamentais e produtores locais, com a missão de desenvolver paisagens agrícolas sustentáveis na Caatinga.

APOIO FINANCEIRO

Com o apoio financeiro do CNPq em fase final para o projeto geral, o projeto Nexus Caatinga recebeu, em 2021, um apoio da Chamada Interna de Produtividade em Pesquisa, da Pró-reitoria de Pesquisa da UFPB, e do Programa de Residência Profissional Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, como suporte para custeio e bolsas.

“Mais que a importância ou responsabilidade de coordenar esse projeto, vemos os frutos que podem direcionar um exemplo de desenvolvimento produtivo e sustentável real, em uma área modelo, o Cariri Paraibano, para outras regiões no mundo, onde a questão do clima de semiaridez ou mesmo das mudanças climáticas, da pobreza e dos recursos ambientais escassos parecem ser um obstáculo para o desenvolvimento”, disse Helder Farias.

PRÓXIMOS TRÊS ANOS

A partir de 2022, o projeto também passa a contar com financiamento da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba – Fapesq, por meio de subprojetos aprovados nos editais Universal e Programa Primeiros Projetos, bem como um novo financiamento do CNPq para um subprojeto aprovado na chamada universal.

Segundo Helder Farias, o financiamento atual é suficiente para mais três anos de atividades, no entanto, por tratar-se de um projeto contínuo, espera-se que as pesquisas e ações resultem em melhorias constantes, tanto nas bases teóricas como nas implicações práticas.


Imagem em destaque: equipe de pesquisadores do Nexus Caatinga, em fazenda em Prata. Foto de divulgação




GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo Pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 3 =