Fernanda Takai e os 30 anos do Pato Fu

A amapaense, voz da banda mineira, relembra sua trajetória e aborda sobre novas músicas e projetos para um dos grupos mais icônicos da música brasileira


Por Renato Coelho, do Jornal da Unesp | De São Paulo (SP)

Experimentação, ousadia e originalidade: essas são algumas características da emblemática banda de pop rock mineira Pato Fu, que celebra 30 anos.

Na estrada desde 1992, o Pato Fu vive artisticamente em mutação ao mesmo tempo em que preserva sua essência.

Ao longo de sua trajetória, a banda ganhou destaque nas principais premiações nacionais, conquistou um Grammy Latino, vendeu discos de ouro e emplacou canções em trilhas de novelas.

Atualmente formado por Fernanda Takai (voz), John Ulhoa (guitarra), Ricardo Koctus (contra-baixo), Xande Tamietti (bateria) e Richard Neves (teclados), o grupo mineiro já gravou 13 álbuns e cinco DVDs.

A banda coleciona hits autorais – entre eles Canção Pra Você Viver Mais, Sobre o Tempo, Perdendo Dentes, Antes Que Seja Tarde, Simplicidade, Depois e Made in Japan – mas também fez regravações criativas e emblemáticas como: Ando Meio Desligado (Os Mutantes), ou Eu Sei (Legião Urbana).

TRAJETÓRIA INTERNACIONAL

Além de shows por todo Brasil, a banda já se apresentou no Japão, em Portugal, na Inglaterra e nos Estados Unidos e é reconhecida com um dos grupos mais criativos do cenário pop brasileiro.

Formada em Relações Públicas, UFMG, Fernanda Takai vive em Belo Horizonte, reservadamente ao lado de sua família, focada em cultura, música, literatura, culinária e cidadania.

Cantora e também compositora, instrumentista e escritora, tornou-se referência à frente do Pato Fu.

AMAPAENSE

Natural da Serra do Navio, no Estado do Amapá, filha de um geólogo e uma enfermeira, Takai teve boas referências musicais e artísticas quando criança e conseguiu levar essa essência adiante, chegando inclusive a regravar em sua carreira músicas que ouvia em casa.

“Me lembro que para tudo tínhamos uma trilha sonora, fosse em casa, nos almoços ou nas viagens. Meus pais não tocavam, mas me presenteavam com fitas cassetes, discos de vinil e ouviam muita coisa legal como Tom Jobim, Dolores Duran, Clara Nunes, Gal Costa, Benito de Paula, entre outros artistas cujas vozes eram bem presentes em nossas vidas”, relata Takai.

Ao refletir sobre as três décadas de atividade do Pato Fu, Takai destaca a trajetória próspera, do ponto de vista criativo, que o grupo conseguiu construir.

MIRADA NO FUTURO

Mas nem por isso a banda se acomodou em seu processo de produção de músicas; ao contrário, seus integrantes sempre miram o futuro.

“Acho incrível que exista uma banda como o Pato Fu no Brasil, e termos conseguido emplacar músicas nas rádios e em novelas e ganhar discos de ouro, entre outras conquistas. Mas a gente não segue padrões musicais. Buscamos criar músicas diferenciadas e ser ousados nos discos, tudo sem seguir fórmulas. É um rock pop, mas com contrastes e quebras de expectativas. Nós sabemos que a indústria da cultura gosta de repetir canções que fizeram sucesso, mas a gente não sabe fazer assim. Gostamos de nos surpreender com o nosso trabalho, ou seja, nosso público nunca sabe exatamente que tipo de som está por vir”, afirma.

CARREIRA SOLO

Embora realce seu desejo de integrar sempre o Pato Fu, Fernanda Takai iniciou em 2007 uma carreira solo repleta de parcerias importantes e colheu boa repercussão, chegando a gravar um disco com o ex-guitarrista do The Police, Andy Summers, em 2012.

Contabilizando sua produção dentro e fora do Pato Fu, a mineira já lançou cerca de 20 álbuns e nove DVDs.

Tem quatro discos de ouro, vendeu mais de um milhão de cópias e foi diversas vezes ganhadora dos prêmios APCA, MTV Brasil, Multishow, Revista Bravo! e Prêmio da Música Brasileira.

PRÊMIO JABUTI

Como escritora tem quatro livros publicados e conquistou um prêmio Jabuti com a obra digital “O Cabelo da Menina”.

Participou como convidada de projetos de Rita Lee, Zélia Duncan, Roberto Menescal, João Donato, Gilberto Gil, Erasmo Carlos, Marcos Valle, Duran Duran, Renato Russo e muitos outros.

“Agora, com 30 anos, a gente está celebrando, criando novos projetos e focando em novas músicas. Estamos realizando shows com a Orquestra Ouro Preto que fez arranjos para nossas canções. Ficou lindo, deve sair um disco dessa parceria nas plataformas digitais em 2023. Além disso, logo mais os ouvintes vão poder conhecer nossas novas músicas. Enfim, posso dizer que não é uma banda que pensa ‘fizemos trinta anos e está legal’. Ao contrário, posso dizer que o Pato Fu está olhando pro futuro e espero que possamos ter muito trabalho pela frente”.

Confira abaixo a entrevista completa com a Fernanda Takai no Podcast Unesp:


Imagem em destaque: Fernanda Takai, em foto de Tibério França. Divulgação Jornal da Unesp




GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 5 =