As inspirações de 2021 – para 2022 e por toda a vida

As palavras de Txai Suruí. Os protestos do MTST. A luta contra fome, do MST. O trabalho de servidores da saúde, educação e meio ambiente, contra os retrocessos. E muito mais


Da Rede Macuco | De Curitiba (PR) e Santos (SP)

Se de altas autoridades da República e de certos segmentos da elite ecoam a ostentação da estupidez, da nação emergem iniciativas que inspiram.

São ações de movimentos sociais, outras individuais, e muitas inclusive do poder público – graças à atuação abnegada de servidores e gestores de fato comprometidos com o interesse coletivo.

Registramos algumas delas, para que nos renovem as esperanças para 2022 – e por toda a vida:

– O trabalho do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), na mobilização pelo combate à fome. Os assentados e acampados do MST têm levado comida, saudável, em todas as regiões do Brasil, inclusive às periferias das grandes cidades. Comida de verdade, sem veneno, fruto da agricultura familiar.

– Protestos do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), como o que ocupou a Bolsa de Valores de São Paulo. São atos pacíficos e contundentes, direcionados aos espaços e responsáveis pela raiz de nossos males: as elites do mercado financeiro especulativo.

– O trabalho dos técnicos e profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). Mesmo com um governo central trabalhando contra, a capilaridade do SUS fez com que o Brasil terminasse 2021 com parte considerável da população vacinada contra a covid-19.

– O trabalho de técnicos, profissionais e professores da educação, em especial das redes públicas de ensino. Mesmo com salários e carreiras achatadas, e em condições mínimas de segurança fitossanitária, garantiram o retorno às aulas presenciais, e resgataram muitos estudantes os quais, em vulnerabilidade social, estavam em situação de evasão escolar.

– As palavras de Txai Suruí, indígena brasileira que chamou a atenção do mundo para os povos da floresta e para as emergências climáticas, na COP26, na Escócia (a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente)

– A atuação dos indígenas, quilombolas e ribeirinhas, auxiliada por organizações não governamentais e servidores de instituições públicas em todas as esferas de governo (como Ibama, ICMBio, órgãos estaduais e municipais) no combate à destruição ambiental promovida por altas autoridades da República.

Há incontáveis mais gestos e iniciativas de 2021 que inspiram para 2022 e por toda a vida.

Pode compartilhar o seu aqui nos comentários.


Imagem em destaque: Txai Suruí, a voz do Brasil na COP26. Foto: acervo pessoal, via Instituto Socioambiental




GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo Pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 9 =