Entenda por que Tiradentes é o único brasileiro que virou feriado nacional

Símbolo de um movimento que se rebelou contra os tributos cobrados pela Coroa, o alferes foi morto, esquartejado e teve sua cabeça roubada

Por Rafaella Dota, do Brasil de Fato

Dono de um feriado nacional em seu nome, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, possui uma história em parte desconhecida e em parte misteriosa. Você sabia, por exemplo, que sua cabeça foi roubada e nunca mais reapareceu? Ou que a barba e o cabelo compridos são provavelmente invenções? Dúvidas como essas abrem possibilidade para se conhecer um pouco mais sobre a revolta acontecida em Minas Gerais, conhecida como “Inconfidência Mineira”.

Era século XVIII, por volta de 1790, quando um grupo de intelectuais, padres e detentores de patentes militares de Vila Rica (hoje Ouro Preto) começou a pensar em uma revolta contra a coroa portuguesa. O professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), João Furtado, explica que a maioria dos inconfidentes se rebelava contra a forma agressiva com que Portugal cobrava os impostos em Minas Gerais. “Ricos, principais sonegadores, tinham seus bens confiscados à força”, diz.

Os inconfidentes não tinham um grande projeto para o país, não tinham os mesmos pensamentos sobre a escravidão e não passaram da fase de planejamento da revolta, segundo o historiador. Em abril de 1792, os reis portugueses descobriram a conspiração e mandaram enforcar e esquartejar Tiradentes, a fim de inibir movimentos que também articulassem a liberdade do Brasil de Portugal.

SÍMBOLO DA RESISTÊNCIA

De todos os integrantes da revolta, apenas Tiradentes foi morto. Por quê? “Ele era o líder que mais divulgava as ideias da Inconfidência. Ao dar muita publicidade à Inconfidência, foi identificado como o principal propagandista e escolhido para ser eliminado pela coroa”, argumenta o professor. Outros dizem que ele foi o escolhido para servir de exemplo por ser o mais pobre entre seus companheiros, que eram integrantes da burguesia da época.

O enforcamento de Tiradentes aconteceu no Rio de Janeiro, na praça da Lampadosa (hoje praça Tiradentes) e pedaços de seu corpo foram colocados ao longo da estrada até Vila Rica, onde foi exibida sua cabeça.

MITOS E VERDADES

  • Será careca? Historiadores afirmam que Tiradentes não era como as pinturas mostram. Como era um alferes (espécie de tenente do exército), precisava manter cabelo e barba raspados. A figura que conhecemos hoje teria sido inventada para se parecer com Jesus Cristo e facilitar a simpatia pelo inconfidente.Onde ele está com a cabeça? Nos dias seguintes à morte de Tiradentes, a corte portuguesa enviou pedaços de seu corpo a todo território nacional para amedrontar pessoas que se organizassem pela independência do país. Para Ouro Preto enviou a cabeça e a colocou em um poste na praça central. Entretanto, a cidade tomou um susto ao amanhecer. A cabeça de Tiradentes havia sido roubada. Até hoje diversas lendas rondam a história e seu crânio nunca foi encontrado.

    Tiradentes, um vilão? Por 98 anos, desde a sua morte (1792) até a proclamação da República do país (1889), Joaquim foi considerado um exemplo a não ser seguido, odiado por toda a corte portuguesa. Quando o Brasil, enfim, declarou independência, ele passou a ser reconhecido como o mais importante rebelde que lutou pela liberdade do país.

Imagem em destaque: o retrato do Tiradentes mais provável


GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco; CPF 257.618.408-12)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp ou telegram: 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: waajornalista@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 7 =