Mujica visita Lula em Curitiba e afirma: “a luta vai atravessar gerações”

Líder uruguaio falou aos populares da Vigília Lula Livre antes do encontro com o ex-presidente. Na volta, disse que a conversa foi boa. “Lula está com bom ânimo”

Por Wagner de Alcântara Aragão | De Curitiba

O ex-presidente do Uruguai José Pepe Mujica, uma das maiores lideranças políticas do mundo, visitou na tarde desta quinta-feira, 21 de junho, o ex-presidente brasileiro Luís Inácio Lula da Silva, em Curitiba, na Polícia Federal, onde está preso desde 8 de abril.

Antes, Mujica passou na Vigília Lula Livre – encontro diário de populares, a cerca de 100 metros da Polícia, em apoio e solidariedade ao ex-mandatário da nação.

Aos integrantes da vigília, o ex-presidente uruguaio ressaltou que a resistência em defesa de Lula significa o enfrentamento das contradições e injustiças da América Latina, as quais a detenção do líder brasileiro simboliza. Advertiu que a luta é árdua e longa. “É uma luta que vai atravessar gerações”.

DEPOIS DA VISITA

Mujica entrou no prédio da Polícia Federal passava das 15h30. A visita a Lula durou menos de uma hora. Na saída, concedeu rápida entrevista aos jornalistas. Disse que foi um encontro muito cordial, e que encontrou um Lula “com muito bom ânimo, com muito bom temperamento, alguns quilos mais magros e lendo muito, e preocupado – como não poderia ser de outra maneira – com o destino e futuro de nossa América”.

À repórter Lenise Aubrift Klenk, da Band News FM Curitiba, o uruguaio contou que conversou com o brasileiro justamente sobre essa preocupação de ambos com a situação da América Latina. Afirmou também ter incertezas quanto à estabilidade da democracia no Brasil.”O que me preocupa é que o povo brasileiro possa superar suas contradições, não perder sua alegria e não cair numa confrontação penosa. São meus sentimentos. Pertenço a um pequeno país que está cercado por dois gigantes, Brasil e Argentina, e quando um de nossos vizinhos se resfriam, nós, uruguaios, gripamos. Espero que Brasil possa superar seus problemas, porque se Brasil vai bem, nós também vamos bem. Se Brasil vai mal, nós também vamos mal.”

Também na entrevista, Mujica reiterou que a luta popular é extensa, e tem desafios postos à frente. “Minha pátria se chama América Latina. Eu não vou alcançar ver – tenho oitenta e tantos anos -, mas o mundo que está por vir necessita que os latino-americanos tenham a astúcia, grandeza de se dar conta de que precisamos de ter fortes vínculos, porque se não no mundo que está por vir, não existiremos. A política deve mirar para 30 anos adiante, e não se conformar com o hoje”.

Imagem em destaque: Mujica na Vigília Lula Livre. Por @waasantista


GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 7 =