Equipes intensificam monitoramento de peixe-leão no Norte e Nordeste

Espécie, por não ser natural da costa brasileira, traz risco à vida marinha e à saúde humana; aplicativo ajuda notificações e localizações


Por Joanson Sousa, da Comunicação Institucional da UFDPar | De Parnaíba (PI)

A Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) estão monitorando a presença de peixes-leão no litoral do Piauí.

Além da disponibilização de canais para comunicar a presença do peixe-leão na região, a UFDPar também auxiliou no desenvolvimento do aplicativo “Monitoramento Participativo do Peixe-Leão”, do Instituto de Ciências do Mar (Labomar), da Universidade Federal do Ceará (UFC).

O aplicativo está disponível nas versões para IOS e Android.

O peixe-leão é uma espécie venenosa que não é natural do Brasil, mas há ocorrências de aparição na costa do Pará, Fernando de Noronha (PE), no Ceará, em Luís Correia e em Cajueiro da Praia, no Piauí.

De acordo com o biólogo Pedro Carneiro, técnico e pesquisador da UFDPar, “os peixes ocorrem em diferentes ambientes marinhos e estuarinos, mas normalmente são vistos associados a rochas ou estruturas no fundo do mar”.

Por isso, continua ele, “o risco de acidentes com banhistas é baixo”. No entanto, ressalva, “são necessárias ações para controlar a população desses animais, buscando evitar que eles causem maiores prejuízos ambientais e econômicos”.

Segundo a professora Edna Cunha, coordenadora do curso de Engenharia de Pesca da UFDPar, a presença do peixe-leão representa uma grande ameaça para a vida marinha e representa riscos à nossa saúde.

A orientação dos especialistas é que em casos de avistamentos e captura dos animais, pescadores e mergulhadores devem entrar em contato com autoridades e não devolvê-los ao mar.

FORMAS DE CONTATO

Para contatar as equipes, a Labomar orienta os seguintes meios:

  • Pelo e-mail cientistachefesema@gmail.com (a qualquer momento) ou entrar em contato em horário comercial pelo WhatsApp do Observatório Costeiro e Marinho do Ceará (de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h). O número é (85) 3366.7059 (somente para mensagens).

Imagem em destaque: ilustração de orientações sobre uso do aplicativo de monitoramento do peixe-leão




GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo Pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 1 =