“(Des)embarque”, a luta de Cebola e outras histórias da Rodoviária de Santos

Filme terá exibição online de 15 a 22 de junho. Dia 17, haverá roda de conversa entre o público, realizadores e personagens


Do Projeto Cultural “Rodoviária de Santos, 50 anos de histórias” | De Santos (SP)

O que a trajetória de Jayme Rodrigues Estrella Júnior, o Cebola; a luta pela democracia, a história da televisão e memórias afetivas outras têm em comum?

A pergunta está no início da sinopse de “(Des)embarque”, documentário que estreia em 15 de julho e terá exibição online até o dia 22, pelo canal Cultura Santos, no Youtube, e pela página no Facebook do Cine Arte Posto 4.

No dia 17, a equipe realizadora promove uma roda de conversa com o público, por meio de link que ficará disponível pelo perfil @rodoviaria_historias, no Instagram.

A resposta à pergunta é a seguinte: todos aqueles fatos se entrelaçam com os mais 50 anos de existência da Rodoviária de Santos.

E é isso o que o filme apresenta: as diferentes histórias que embarcam e desembarcam nesse meio século, e como elas convergem não só com trajetórias individuais, como sobretudo se relacionam com memórias e episódios coletivos, sociais. Vale destacar que a Rodoviária de Santos é uma das mais antigas em operação no país.

Cartaz do filme. Arte de Pedro Otávio Cardamone Pinto Cordeiro

O fio condutor da narrativa é a vida pública de Cebola – desde 1996 a Rodoviária de Santos se chama Jayme Rodrigues Estrella Júnior, que morreu em 1985 por sequelas da tortura sofrida dez anos antes, quando foi perseguido e preso pela ditadura no Brasil.

As memórias de e sobre Cebola são trazidas pelo filho, José Pedro Nogueira Estrella, e pela companheira à época, Sandra Mara Nogueira Lisboa.

Mas outros acontecimentos se intercalam, como o nascimento da TV Litoral – ou a “TV da Rodoviária”, conforme era chamada pelo povo.

A emissora surge nas instalações da estação, numa empreitada de Lupércio Mussi (in memoriam). É o filho dele, o também comunicador Cláudio Mussi, que desde bem jovem acompanhou de perto a criação do canal de televisão, quem resgata essa história no documentário.

Afetos particulares – lembranças do primeiro desembarque na rodoviária, de viagens marcantes, ou do patrimônio cultural do entorno, entre acontecimentos e simbolismos mais – são compartilhados por outros personagens.

Os demais personagens são:

  • Geraldo Oliveira Aragão
  • Elver Savietto
  • Danilo Alves da Conceição
  • Sérgio Pardal Freudenthal
  • Jaqueline Fernández Alves
  • Júnior Brassaloti
  • Íris Geiger
  • Brenno Demarchi.

O documentário foi produzido entre janeiro e junho de 2021, e integra o projeto cultural “Rodoviária de Santos, 50 anos de histórias”, contemplado pelo 8º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes, da Prefeitura de Santos, com repasses do Fundo de Assistência à Cultura (Facult).

————————————————

SERVIÇO
Estreia do documentário “(Des)embarque”
15 de julho de 2021
19h
Youtube: Cultura Santos (https://www.youtube.com/channel/UCZpcsglPTgA9Q-rLLIRZfCQ)
Facebook: Cine Arte Posto 4 (https://www.facebook.com/CineArtePosto4).
O filme ficará em exibição nessas plataformas até o dia 22.

Roda de conversa (Cinedebate)
17 de julho de 2021
14h30 às 17h
Pelo Jitsi. Link estará disponível no Instagram @rodoviaria_santos (https://www.instagram.com/rodoviaria_historias)

Sinopse | (DES)EMBARQUE
(Santos, Brasil, 2021. 40’. Documentário)

O que a trajetória de Jayme Rodrigues Estrella Júnior, o Cebola, a luta pela democracia, a história da televisão e memórias afetivas outras têm em comum? Todas elas (des)embarcam na Estação Rodoviária de Santos, uma das mais antigas em operação no país. Com narrativas de Sandra Mara Nogueira Lisboa e José Pedro Nogueira Estrella, e relatos de Cláudio Mussi, Geraldo Oliveira Aragão, Elver Savietto, Danilo Alves da Conceição, Sérgio Pardal Freudenthal, Jaqueline Fernández Alves,  Júnior Brassaloti, Íris Geiger e Brenno Demarchi, tudo se entrelaça.

Um filme de:

• Nicole Zadorestki Caroti, co-direção, fotografia e edição
• Wagner de Alcântara Aragão, co-direção, argumento e roteiro
• Gabriel Cordeiro Ramos, áudio

————————————————

Além da obra audiovisual, o projeto, da categoria artes integradas, envolveu expressão oral (contação de histórias em roda de conversa remoto) e visual (uma exposição de imagens no Instagram).

Todas as etapas do projeto foram adaptadas às circunstâncias da pandemia de covid-19.

Em observância às recomendações dos especialistas em saúde, as atividades foram migradas para o ambiente virtual.

Mesmo a contação de histórias, as conversas e as entrevistas para o documentário foram feitas por videochamadas, para preservar personagens e equipe. As captações externas se concentraram em tomadas de imagens da rodoviária, em janeiro, sem contato físico com o público.

Logo do projeto. Arte de Pedro Otávio Cardamone Pinto Cordeiro

O projeto tem coordenação geral de Wagner de Alcântara Aragão; curadoria de conteúdo do perfil no Instagram a cargo de Thayná Santos; pauta e pré-produção de Lindrielli Rocha Lemos; e produção e pós-produção audiovisual de Nicole Zadorestki Caroti.

Os contatos são o próprio @rodoviaria_historias ou (13) 92000-2399.


Imagem em destaque: uma das cenas do documentário. Por Nicole Zadorestki Caroti



GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco). Ou pelo Pix: redemacuco@protonmail.com
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 8 =