Folhas e galhos que caem podem virar adubo

Da UFPB em João Pessoa, uma experiência que pode inspirar iniciativas semelhantes em cidades em todo o Brasil


Por Carlos Germano, da Ascom/UFPB | De João Pessoa (PB)

Um projeto da Comissão de Gestão Ambiental da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) mostra que folhas e galhos podem ser reciclados e transformados em adubo.

Experiência nesse sentido vem sendo feita na própria UFPB: fragmentos de vegetação de Mata Atlântica que cai na área do campus I, em João Pessoa, passam por um processo específico de reciclagem.

O fertilizante é elaborado por meio de compostagem, conjunto de técnicas aplicadas para estimular a decomposição de materiais orgânicos, com a finalidade de obter um produto rico em nutrientes e essencial para o crescimento das plantas.

Melhor ainda: o adubo natural é fornecido à população. Para isso, basta se cadastrar, por meio de um formulário online.

O QUE ERA LIXO VIRA RIQUEZA

O estudante Tarcísio Luiz Filho, do curso de Engenharia Ambiental da UFPB, é um dos participantes do projeto.

Segundo ele, antes de a iniciativa existir, as folhas e galhos eram varridos e enviados para o Aterro Sanitário da Região Metropolitana de João Pessoa, no município de Santa Rita.

Com a criação do projeto, em 2013, o que era lixo se tornou um excelente regenerador de solos.

O composto, além de ser doado, é utilizado para a manutenção dos jardins e de praças, plantio de mudas e regeneração de áreas em que o solo está degradado, no campus-sede da federal paraibana.

LOCALIZAÇÃO

Em João Pessoa, a UFPB conta com 12 composteiras, distribuídas estrategicamente pelo campus. Juntas, totalizam um volume de 1.662 m³. O adubo produzido não possui restrições para aplicação, sendo indicado para qualquer tipo de espécie vegetal.

“Com esse produto, é possível fazer plantio direto, produzir mudas e melhorar a fertilidade de um solo. Desejamos que nosso material beneficie cada vez mais a sociedade. Por isso, incentivamos a doação, que pode ser em pequena ou grande quantidade”, conta Tarcísio Luiz Filho.

MATERIAIS INFORMATIVOS

A iniciativa da UFPB também produz materiais informativos, que são divulgados por meio do perfil do projeto e do perfil da Comissão de Gestão Ambiental no instagram.

Por meio de vídeos, o projeto da UFPB mostra a importância dos agentes de limpeza na universidade, tabelas com as propriedades nutricionais do composto e as condições de cultivo das principais espécies semeadas em hortas.

O projeto de compostagem é coordenado pela professora Cláudia Coutinho Nóbrega; já a Comissão de Gestão Ambiental (CGA) da UFPB tem a coordenação do professor Joácio Morais Júnior. Ambos os professores são docentes do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da federal paraibana.

Colaboram também nas atividades da comissão o docente Leonardo Vieira Soares, além de estudantes do curso de Engenharia Ambiental da UFPB.


Imagem em destaque: recolha de galhos no campus I da UFPB, em João Pessoa. Foto de Tarcísio Luiz Filho/UFPB


GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 4 =