A arte da Amazônia no Festival Jambu

A partir desta sexta, dia 23, e durante todo o fim de semana, serão 60 espetáculos, ao vivo, pela internet, de graça


Da UFPA | De Belém (PA)

Música, dança, teatro, cultura paraense para assistir e divertir-se sem sair de casa.

Essa é uma das propostas do Festival Jambu Live, o maior festival on-line de cultura paraense, que começa nesta sexta, dia 23 de outubro.

O festival é resultado de um Projeto de Extensão da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal do Pará (Facom/UFPA) e apresentará mais de 60 espetáculos ao vivo, na internet, garantindo entretenimento e incentivo aos artistas locais neste período de pandemia.

Para a coordenação do projeto, o setor cultural foi um dos primeiros a serem afetados pela pandemia de covid-19 e será um dos últimos a conseguir se recuperar.

E para ajudar os vários artistas que tiveram seus shows e agendas cancelados, o festival trouxe a proposta de realizar lives para monetizar o trabalho de profissionais da área.

O festival é uma das atividades da reunião de dois projetos, o Jambu Festival e o Conexões Periferia, financiados por emendas parlamentares.

Ele é coordenado pela vice-diretora da Facom/UFPA, professora Regina Lima, que se orgulha em ver um projeto de extensão tão grande que nasceu na universidade e vai alcançar tantas pessoas.

“Ele (o evento) atende a uma das missões que a universidade tem: o ensino, a pesquisa e a extensão”, afirma Regina. E a professora completa dizendo: “ é através dos projetos de extensão que a universidade dialoga com a sociedade”.

TRABALHO E RENDA PARA ARTISTAS

Regina também explica a importância da remuneração que o festival vai garantir para os artistas, mesmo em meio a um momento de crise.

“Se antes o evento iria remunerar os artistas, agora isso se agiganta, pois estamos remunerando os artistas num momento de crise muito sério. Isso é muito importante”, sublinha.

RITMOS

Carimbó, samba, MPB, melody, entre outros ritmos populares da região Norte do Brasil estão garantidos na programação que teve curadoria da cantora Alba Mariah.

Artistas com anos de carreira, como Adamor do Bandolim, Joelma Kláudia, Sammliz e Trio Manari, unem-se aos novos nomes da música feita no Pará, como Keila, Jeff Moraes, Nanna Reis e o grupo Carimbó Cobra Venenosa, numa superprogramação, com mais de 50 artistas, que seguirá por várias semanas.

ESTREIA

A cantora Sammliz realizará, no Jambu, a sua primeira live neste período de pandemia, pois não se sentiu bem com as diversas perdas que aconteceram no decorrer do ano.

Mas, sobre o festival, a cantora conta que tocar é sempre uma experiência nova.

“Toda forma de tocar, seja em casa, sozinha, entre amigos, apresentação virtual, para uma multidão, traz sentimentos queridos, intensos e variados. Afinal, é o que somos e amamos fazer. É sempre uma aventura nova”, garante. “A live será em formato completamente novo. Só o que posso dizer. Mas será bonito e intenso”, completa.

Algumas das atrações do Festival Jambu Live

Já Priscila Duque, líder e vocalista do Carimbó Cobra Venenosa, ressalta a importância dos festivais on-line no período de pandemia para fortalecer financeiramente os artistas e os agentes de multiplicação cultural locais.

“Um festival como esse que consegue pagar um cachê razoável aos artistas, potencializar visibilidade e dispor de uma infraestrutura de qualidade para uma apresentação que entregue um bom show é fundamental, tanto do ponto de vista financeiro quanto do ponto de vista do alimento do artista. O show é o alimento do artista. O artista que não faz show é como um pássaro que não voa”, compara Priscila.

A vocalista conta que o show trará diversas novidades criativas e interativas com o ambiente digital. Além disso, será um momento de reencontro, pois o grupo ficou longe do estado durante alguns meses, e de comemoração pelo aniversário da vocalista. “Vai ser muito axé, vai ser muito amor e vai ser muito lindo. Eu tenho certeza.”

ARTES CÊNICAS

Além dos mais de 50 espetáculos musicais, o festival selecionou 15 grupos de artes cênicas para também realizarem apresentações. O objetivo foi também valorizar diferentes tipos de artistas da região. Entre as apresentações, estão peças teatrais, dança e performances.

Segundo a curadora de artes cênicas do festival, Ana Flávia Mendes, a pluralidade cultural, artística e de gênero será uma das principais características dessas apresentações.

“Fizemos uma seleção de trabalhos considerando como principal critério a diversidade de linguagens e representatividade na área, procurando dar espaço a grupos de diferentes origens, entre artistas já consolidados e outros em ascensão no cenário local”, explica.

DIVERSIDADE

Ana Flávia reitera que a diversidade se dará também nos diversos estilos dos grupos. “A diversidade será a maior marca. Neste sentido, teremos trabalhos de dança de salão, hip-hop, dança contemporânea, teatro com bonecos, clown, teatro experimental, contação de histórias, entre outros, procurando mostrar a amplitude do fazer cênico em nossa cidade, com a maior qualidade possível.”

O grupo Palhaços Trovadores foi um dos grupos selecionados para se apresentar no festival. O diretor do grupo, Marton Maués, pontua que será uma experiência nova, com direito a frio na barriga. “Estamos com todas as expectativas imagináveis. É tudo novo pra nós, pois o trabalho do palhaço requer um contato direto com o público, olho no olho, e não teremos isso.”

IMPORTÂNCIA EM TEMPOS DIFÍCEIS

Ele também comenta a importância da arte em tempos tão difíceis, ainda mais valorizando a produção local.

“Iniciativas que incentivem o contato do público com a arte, sobretudo neste momento que vivemos, são de fundamental importância. Estávamos precisando disso, nós, os artistas e o público. Estamos recebendo muitas transmissões, lives, de fora do estado, e muito pouco dos artistas locais. A arte está tendo um papel fundamental nesta pandemia. A arte nos salva a todos. E a live está salvando a arte”, frisa Marton.

COMO ACOMPANHAR

O festival Jambu Live será realizado por meio de lives no youtube. Para acompanhá-las, basta inscrever-se no canal oficial do festival.

Para acompanhar todas as novidades, você pode seguir o Jambu nas redes sociais.


Imagem em destaque: arte de divulgação do Festival Jambu Live


GOSTOU DO MACUCO?
Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:
  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 6 =