Bicicletismo, o portal sobre pedaladas na Tríplice Fronteira

Site especializado de Foz do Iguaçu completa um ano contribuindo para difundir as vantagens do uso da bicicleta, informando, orientando e defendendo a comunidade.


Da Unila | De Foz do Iguaçu (PR)

Hoje é amplamente sabido que só há vantagens no uso da bicicleta em vez do carro – essa prática traz benefícios para todos: desafoga o trânsito, faz bem à saúde de quem pedala e, de quebra, ainda ajuda o meio ambiente.

Foi por isso que o bibliotecário Fernando Correia, e a jornalista Mayara Godoy, ambos servidores públicos da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), uniram-se em prol de uma paixão em comum: o ciclismo. A partir da fusão das palavras “bicicleta” e “ciclismo”, surgiu o “Bicicletismo”.

Trata-se de um espaço na internet que reúne informações sobre o ciclismo em Foz do Igualu, na Tríplice Fronteira Brasil-Argentina-Paraguai.

A ideia de criar o site surgiu porque os dois servidores frequentemente se reúnem com outros amigos para pedalar em grupo, à noite ou aos finais de semana.

“Percebemos que era difícil encontrar informações sobre ciclismo aqui em Foz do Iguaçu. Apesar de ser uma cidade turística, não existe muito incentivo ao uso da bicicleta”, explica Fernando.

Mas, se para quem reside na cidade já é difícil encontrar uma rota segura para pedalar, imagine para o turista ou para quem acabou de se mudar pra cá.

“Para uma pessoa iniciante, era difícil encontrar, por exemplo, informações sobre boas rotas para se fazer de bike. E, a cada vez que postávamos em nossas redes sociais, muitas pessoas vinham falar com a gente para pedir essas informações, dicas, e para saber mais sobre os passeios”, acrescenta Mayara.

Todo o material postado no Bicicletismo é produzido a partir das experiências, observações e conhecimentos dos seus idealizadores (ou de amigos) e escrito após muita pesquisa, já que a dupla prioriza a qualidade dos textos.

Assim, a cada passeio, o conteúdo do portal é alimentado e o site vai crescendo. Ou seja, as informações encontradas lá são escritas por ciclistas de verdade, de forma “organizada e sistematizada, com fotos e hyperlinks, para facilitar o compartilhamento com as pessoas interessadas”, destaca a jornalista.

De repente, eles perceberam que não se tratava apenas de lazer, pois foram surgindo assuntos bem mais abrangentes, como “questões sobre a legislação de trânsito, dicas de segurança, orientações para fazer manutenção da bicicleta, passando por dicas de como ir às Cataratas pedalando, por exemplo”, sublinha o bibliotecário.

Ou seja, além do ciclismo ser uma paixão, o projeto cumpre uma importante função social.

“A cada pedal, passamos a identificar novas pautas. Uma delas, que nos intrigou desde o começo, foi relativa à péssima infraestrutura cicloviária na cidade – praticamente inexistente. Então, iniciamos uma série de reportagens, na qual começamos a percorrer cada uma das ciclovias ou ciclofaixas da cidade, registrando em fotos e anotações a usabilidade e estado de conservação, segurança e outros aspectos”, relata Mayara.

Foi a partir dessas matérias, intituladas de “Especial Ciclovias”, que outros veículos de comunicação começaram a se interessar pelo tema e passaram a abordar o assunto em reportagens de TV, rádio e internet.

POTENCIAL

Ambos ressaltam que, embora Foz do Iguaçu tenha muito potencial para incentivar a prática do ciclismo – existem várias opções de lugares para pedalar, desde para quem curte mais trilhas no meio do mato até para quem prefere pedal urbano – falta investimento em ciclovias e, principalmente, conscientização e educação para o trânsito, para que todos possam conviver em harmonia.

Contudo, os ciclistas consideram que o papel no incentivo ao uso da bicicleta não cabe somente ao poder público.

“A iniciativa privada também pode e deve incentivar as pessoas a usarem a bicicleta para ir ao trabalho ou à escola/faculdade, por exemplo. Mas, como Foz do Iguaçu é uma cidade muito quente, a disponibilidade de vestiários para que as pessoas possam tomar um banho ao chegar ao trabalho, por exemplo, seria bem importante”, destaca Mayara.

“Da mesma forma, a instalação de bicicletários adequados e seguros também seria uma excelente forma de incentivo”, complementa Fernando.

O site, que completou um ano no mês de setembro, já colheu os frutos do trabalho que vem sendo realizado.

Além de concederem uma entrevista para a Rádio Clube de Foz, Fernando e Mayara foram convidados para viajar a São Paulo, para dois grandes eventos de ciclismo, entre eles o maior festival de ciclismo da América Latina, a Shimano Fest.

“Ter participado desses megaeventos e conhecido os maiores jornalistas que cobrem o ciclismo no país nos abriu novos horizontes, e percebemos que podemos profissionalizar ainda mais o site”, salienta Mayara.

A partir dos conhecimentos somados no dia-a-dia da prática esportiva e da experiência adquirida por meio de pesquisa e contato com grandes conhecedores da prática, eles enfatizam a importância das pessoas sentirem-se seguras em cima da bicicleta, o que, muitas vezes, é difícil, principalmente pelo fato do trânsito ser muito violento.

“Ciclistas e pedestres raramente têm vez frente aos veículos automotores. E essa é outra questão que nos motiva: a conscientização”, frisa Fernando.


Imagem em destaque: Mayara e Fernando, idealizadores do Bicicletismo


GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco; CPF 257.618.408-12)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 4 =