Dar carne crua para cachorro faz mal ao cão e ao ser humano

Pesquisa da UFMG aponta presença de bactérias que causam de diarreia a distúrbios mais graves, que podem levar à morte.

Por Teresa Sanches, da UFMG | De Belo Horizonte (MG)

A carne crua, cada vez mais usada como base da alimentação para cães, aumenta o risco de contaminação, por bactérias, tanto dos próprios animais quanto das pessoas que convivem com eles no ambiente doméstico.

Pesquisa inédita, realizada no Departamento de Medicina Veterinária Preventiva da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), identificou, além da Salmonella spp, a presença das bactérias Escherichia coli patogênicas e Clostridium difficile nas fezes de cães que se alimentam de carne crua.

Segundo o professor Rodrigo Otávio Silveira Silva, coordenador da pesquisa, esses patógenos apresentam potencial para causar infecções em humanos, e os efeitos vão desde diarreia até distúrbios sistêmicos graves, que podem levar à morte.

O estudo, que contou com participação da doutoranda Carolina Pantuzza Ramos e da graduanda e pesquisadora de iniciação científica Flávia Viegas, também revelou, pela primeira vez no Brasil, o perfil de 400 tutores de cães e o que eles pensam sobre a alimentação de seus animais. Os entrevistados, moradores de Belo Horizonte e da Região Metropolitana, foram divididos em dois grupos: o dos que oferecem ração para os cães e o dos que servem carne crua como base da dieta de seus animais.

Os pesquisadores analisaram as fezes de 60 animais que se alimentam de carne crua e de 192 que comem ração.

Os resultados confirmaram a presença de Salmonella spp, uma das zoonoses mais prevalentes no mundo e fator de risco comprovado, desde o início da década, por vários estudos internacionais.

No entanto, os pesquisadores foram surpreendidos pelo número 28 vezes maior de Salmonella excretada pelos cães que comem carne crua em relação aos que se alimentam de ração. “Além disso, todos os isolados encontrados, ou sorotipos caracterizados dessa bactéria, estão entre os cinco mais comuns causadores de doenças em seres humanos”, alerta Rodrigo Otávio Silva.

DESCOBERTA

A descoberta de Escherichia coli patogênica e Clostridium difficile nas excreções dos cães também é avaliada com preocupação pelo pesquisador.

“A E. coli é comumente encontrada no trato gastrointestinal de animais e humanos e, eventualmente, pode causar danos semelhantes aos provocados pela Salmonella. Mas nesse grupo de cães, os isolados de E. coli mostraram-se potencialmente mais danosos e mais resistentes aos antimicrobianos.”

Ainda contrariando os estudos que comprovam os riscos dessa dieta, 60% dos entrevistados afirmaram que optaram pela carne crua há menos de um ano, o que indica tendência também verificada em outros países. Metade dos entrevistados que alimentam seus cães com ração afirmou ter interesse em trocar essa dieta por carne crua.

O professor também chama a atenção para a dificuldade de  evitar a contaminação, uma vez que o hábito de lambedura, típico dos cachorros, contribui para disseminar os patógenos.

“A contaminação por essas fezes infectadas nem sempre ocorre de forma direta. Mas o cão, ao lamber o próprio ânus, as patas, os seus donos, ou entrar na casa, deitar na cama ou no sofá, transporta essas bactérias”, exemplifica o professor.

Imagem em destaque: por Rosely Pereira/Boletim UFMG


GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco; CPF 257.618.408-12)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 8 =