Compostagem, a reciclagem de lixo orgânico que pode ser feita em casa

Restos e cascas de frutas, verduras e legumes, e sobras de podas, serragens e outros itens podem e devem ser reaproveitados. Descubra como

Por Wagner de Alcântara Aragão (@waasantista) | De Curitiba (PR)

Em várias cidades do Brasil tem aumentado a prática da compostagem.

Iniciativas do poder público ou de organizações não governamentais promovem orientações e cursos para que cada família possa fazer o reaproveitamento de boa parte do lixo orgânico na própria casa.

É esse, em poucas palavras, o significado de compostagem: a reciclagem de restos e cascas de frutas e legumes, sobras de podas, serragens, folhas, para que tudo seja transformado em adubo para hortas caseiras, jardins e canteiros.

A compostagem contribui para o meio ambiente, uma vez que se diminui a quantidade de lixo descartado, ao se aproveitar ao máximo os resíduos.

E pode ser uma alternativa de sustentabilidade econômica também: é um adubo caseiro, natural, para canteiros que podem fornecer hortaliças, frutas, verduras e legumes para o próprio consumo (e até revenda).

Como exemplo, trazemos dois casos recentes de prática de compostagem.

Um em Taguatinga, no Distrito Federal. A fonte é uma reportagem do Brasil de Fato:

“Para muita gente, as sobras de alimentos encontra um destino óbvio: o lixão, ambiente altamente poluente. Ao perceber a potência desses quilos e quilos de material orgânico, o coletivo Becomposto proporcionou à comunidade do Mercado Sul, conhecida também como Beco da Cultura, uma experiência de melhor aproveitamento desses resíduos, utilizando os descartes dos moradores.

Ornamentação adubada com produto de compostagem, em Taguatinga. Foto de Webert da Cruz/ Brasil de Fato

A aplicação de técnicas de compostagem possibilitou a transformação de restos orgânicos em extratos que fortaleceram os canteiros e hortas do local. Além de a comunidade consumir as hortaliças produzidas por ela própria, o paisagismo do local se transformou. O visual do beco ficou mais bonito, ornamentado por plantas, jardins e canteiros que revitalizaram o ponto.”

Outro exemplo vem de Santos.

Lá, já houve a aplicação de cursos e oficinas no Jardim Botânico Chico Mendes e no Orquidário Municipal, gratuitos, voltados aos moradores em geral. Outras edições está marcadas para junho também.

Nas atividades, são explicados quais resíduos podem ser reaproveitados e como.

Também faz parte do programa – batizado de Composta Santos – a implantação de um pátio público, para receber exclusivamente resíduos de feiras livres e podas urbanas. O material produzido a partir dessa reciclagem vai ser aplicado em áreas verdes (parques, jardins, praças) da cidade.

Imagem em destaque: curso de compostagem em Santos. Foto: Rogério Bomfim/PMS



GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco; CPF 257.618.408-12)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

 

2 comentários sobre "Compostagem, a reciclagem de lixo orgânico que pode ser feita em casa"

  1. Parabéns pela matéria.
    Aqui em Curitiba forneço Composteiras domésticas e vejo que aumentou a preocupação em reduzir os resíduos, deixar que tenham os aterros como destino e ainda produzirem o próprio adubo. Estou bem feliz. Que estas atitudes se reproduzam rapidamente.
    Páginas no face e insta: @utilixou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 2 =