Clássicos do cinema russo até o final do ano, em São Paulo

Mostra tem ingressos populares e prevê um filme por mês, em exibição na sala Paulo Emílio, no Centro Cultural da Rua Vergueiro

Do jornal Hora do Povo | De São Paulo (SP)

Uma seleção de clássicos do cinema russo está sendo exibida no Centro Cultural São Paulo (CCSP), que fica na Rua Vergueiro, na capital paulista.

São 12 filmes, que estarão na programação até o final do ano. Os ingressos, a preços populares (R$ 4 inteira, R$ 2 a meia-entrada).

A estreia ocorre em 30 de janeiro, e a mostra prossegue com a exibição de um filme por mês (com exceção da última apresentação do ano, que pode ser conferida na programação abaixo).

Os filmes selecionados representam diversos períodos do cinema russo e soviético e foram produzidos pelo Mosfilm, o maior e um dos mais importantes estúdios da Europa e o mais antigo do continente.

A exibição dos filmes no Central Cultural Vergueiro, a maioria em cópias restauradas, é uma parceria do CPC-Umes Filmes – que representa e distribui as produções do estúdio russo no Brasil -, com o Circuito Spcine, uma rede de salas de cinema da Prefeitura de São Paulo, que ocupam espaços principalmente em bairros não atendidos pelas salas comerciais.

Entre os filmes estão presentes o imperdível “Vá e Veja” (1985), de Elem Klimov, considerado uma das produções mais perturbadoras sobre a guerra e seus efeitos, e A Mãe (1989), dirigido por Gleb Panfilov, uma adaptação do célebre romance de Maxim Gorki, que foi vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes, em 1990.

A proposta do Circuito Spcine é garantir o acesso da população ao cinema com equipamentos de primeira geração, com qualidade de som e imagem, a preços populares.

Os filmes estão sendo exibidos na sala Paulo Emilio, que integra o Circuito Spcine, e está localizada no interior do Centro Cultural São Paulo.

O Centro Cultural São Paulo fica Rua Vergueiro, 1000, ao lado da Estação Vergueiro do metrô (linha 1 – azul).

Confira abaixo a programação e as fichas técnicas dos próximos 11 filmes

DERSU UZALA – 26/02/2019, 19h
Dirigido por Akira Kurosawa (1975), com Maksim Munzuk, Yuriy Solomin. URSS, 161 min.
Cartógrafo do exército russo mapeia a Sibéria no fim do século 19, com a ajuda de caçador nativo avesso aos padrões mercantis de conhecimento e relação com a natureza. Produzida pelo Mosfilm, a obra trouxe o mestre japonês Akira Kurosawa de volta às telas, depois da tentativa de suicídio em 1971. Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 1976.

VÁ E VEJA – 27/03/2019, 19h
Dirigido por Elem Klimov (1985), com Aleksei Kravchenko, Olga Mironova, Vladas Bagdonas, URSS, 136 min.
Na 2ª Guerra Mundial, o adolescente Floria, morador de uma aldeia bielorrussa, encontra um velho fuzil e se junta ao movimento guerrilheiro que resiste aos invasores. A ocupação da Bielorrússia pelos nazistas foi de uma selvageria sem precedentes, com mais de 600 vilas aniquiladas e 2,2 milhões de mortos.

O ENCOURAÇADO POTEMKIN – 23/04/2019, 20h
Dirigido por Serguey Eisenstein e Grigori Aleksandrov (1925), com Aleksandr Antonov, Vladimir Barsky, Grigori Aleksandrov, URSS, 75 min.
Em 1905, marinheiros do Potemkin rebelam-se. A população da cidade portuária de Odessa apoia a revolta e é brutalmente reprimida. O encouraçado dispara contra o Quartel General czarista e parte ao encontro da frota do Mar Negro, visando sublevá-la. Obra-prima de Eisenstein, até hoje o filme soviético mais influente no Ocidente.

A MÃE – 18/05/2019, 19h
Dirigido por Gleb Panfilov (1989), com Irina Churikova, Viktor Rakov, Liubomiras Lauciavicius. URSS, 200 min.
Quarta adaptação do célebre romance de Maxim Gorki, o filme narra a transformação de uma camponesa submissa, escrava dos seus medos e da brutalidade doméstica, em mulher que se engaja na luta dos trabalhadores, ocupando progressivamente o lugar de seu filho Pavel, preso pela polícia política. Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes (1990).

STALKER – 26/06/2019, 19h30
Dirigido por Andrei Tarkovsky (1979), com Aleksandr Kadanovskiy, Anatoly Solonitsyn, Nikolay Grinko, URSS, 162 min.
Num futuro indefinido, um guia (stalker) conduz dois homens conhecidos como Escritor e Professor a uma área proibida, lacrada pelo governo, a “Zona”. Dentro dela há uma usina desativada onde existe um aposento que possui a propriedade de realizar os desejos de quem entrar nele. Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes (1980).

O DESTINO DE UM HOMEM – 24/07/2019, 19h30
Dirigido por Serguey Bondarchuck (1959), com Serguey Bondarchuck, Pavel Borinsky, Zinalda Kirienko, URSS, 103 min.
Convocado pelo Exército Vermelho para atuar como motorista, Andrey é capturado pelos alemães e quando retorna não mais encontra sua mulher e filhos, todos mortos na guerra. O fantasma de uma vida sem propósito o atormenta. Adaptação do romance homônimo de Mikhail Sholokhov, que se tornaria ganhador do Nobel em 1965.

COSSACOS DO KUBAN – 28/08/2019, 20h
Dirigido por Ivan Pyryev (1949), com Serguey Lukyanov, Marina Ladynina, Aleksandr Khvylya, Vladlen Davydov, URSS, 110 min.
Nas estepes do rio Kuban, dois kolkhozes (cooperativas agrícolas) competem para ver quem consegue colher mais trigo. Realizado em cores, “Cossacos do Kuban” foi a maior produção musical do cinema soviético.

SOLARIS – 25/09/2019, 19h
Dirigido por Andrei Tarkovsky (1972), com Donatas Banionis, Natalya Bondarchuck, Jüri Järvet, URSS, 166 min.
Grande Prêmio do Júri e Prêmio da Crítica Internacional, no Festival de Cannes, em 1972, baseado na novela de Stanislaw Lem, “Solaris” conta a história da investigação sobre um planeta dotado de inteligência, capaz de penetrar no íntimo dos seres humanos e materializar clones de suas mais secretas lembranças.

OS CIGANOS VÃO PARA O CÉU – 11/10/2019, 19h30
Dirigido por Emil Loteanu (1975), com Svetlana Toma, Grigore Grigoriu, Ion Sandri Shkurya, URSS, 96 min.
Com trilha musical de Eugen Doga e baseado no conto “Makar Chudra” (1892), de Gorky, “Os Ciganos Vão para o Céu” narra a tempestuosa história de amor entre a jovem Rada e o ladrão de cavalos Loyko Zobar. O filme ganhou a Concha de Ouro no Festival de San Sebastian. Em 1976, foi assistido por 64,9 milhões de espectadores, na URSS.

LIBERTAÇÃO 1: O ARCO DE FOGO – 30/11/2019, 17h
Dirigido por Yuri Ozerov (1969), com Mikhail Nozhkin, Bukuti Zakanadze, Nikolai Olyalin, Mikhail Ulyanov, Larissa Golubkina, URSS, 85 min.
Recriação dramática da 2ª Guerra Mundial, focada nos acontecimentos que vão da contra-ofensiva soviética, após a vitória em Stalingrado (fevereiro de 1943), até a batalha de Kursk, o maior confronto de blindados de todos os tempos. A série completa tem cinco filmes e vai até a queda de Berlim.

LIBERTAÇÃO 2: RUPTURA – 30/11/2019, 19h
Dirigido por Yuri Ozerov (1971), com Larissa Golubkina, Fritz Diez, Ivo Garrani, Stanislav Yakevich, Yuri Durov, URSS, 84 min.
O segundo episódio da série “Libertação” começa em julho de 1943 com a destituição de Mussolini e invasão da Itália pelas tropas de Hitler. Prossegue com a travessia do Dnieper.

Imagem em destaque: cena de “A mãe”, filme agendado para maio.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 2 =


*