Procrastinar é sumir. Por Lindrielli Rocha Lemos

“Agora bate a culpa, os prazos apertam: não fiz. Dentro da lógica mercadológica, produzir é lei”

PROCRASTINAR É SUMIR
Lindrielli Rocha Lemos | De Curitiba (PR)

Vou começar pelas minhas desculpas, pelas minhas falhas. Acordei com dor de cabeça, que piorou bastante a tarde. Enxaqueca, eu tenho. Não consegui estudar porque tinha trabalho para terminar, e-mails para para enviar, ligações para fazer. Tomei um remédio e dei uma capotada. Acordei às 19h e fiquei lendo vários textos sobre assuntos que não estão no conteúdo programático da minha prova de sexta-feira.

Eu entendi que eu não ia fazer o que eu precisa. Estava ansiosa com a resposta de um trabalho. Coloquei Paulinho da Viola para tocar eu fui meditar no chão da sala, sem tapetinho, sem pretensão, eu apenas sentei no chão com boa postura, fechei meus olhos e tentei não pensar no famoso ”nada” enquanto ouvia o Paulinho.

“Consumir é viver
Conviver é sumir
Conviver é sumir
Consumir é viver”
(Paulinho da Viola)

Depois de ouvir esse trecho, parei de meditar. Fiquei me questionando sobre as relações, os símbolos. O consumo é tido como uma forma de existência, expressão de vida,  mas que também é excludente. Pensar sobre a música foi gatilho para outros pensamentos. Fiz um rápido apanhado mental do meu dia e vi que passei o dia inteiro procrastinando, e isso é ao contrário de produzir, de existir (?). Agora bate a culpa, os prazos apertam: não fiz.

Dentro da lógica mercadológica, produzir é lei. Logo, procrastinar me torna improdutiva, desnecessária. Mas, por ora, num sentido existencial, sinto que procrastinar é sumir. Aos poucos vou perdendo a oportunidade de construir, mesmo que pouquinho, parte dos meus projetos. procrastinar demais é tipo gol contra, afinal eu quero realizar sonhos e eles exigem trabalho, ler, pensar escrever: produzir.

Posso estar fazendo uma louca confusão. Mas já que não consegui produzir formalmente, para os fins urgentes, resolvi escrever sobre a aflição de saber que adio mas não sei bem como parar de adiar. Ao escrever este texto eu parei de procrastinar?

Imagem em destaque: ilustração de Kuschnir, Karina. 2018. “Quinze coisas para fazer na volta às aulas como professora”, Publicado em karinakuschnir.wordpress.com, url: https://wp.me/p42zgF-3GO. Acesso em [01/10/2018].


GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco; CPF 257.618.408-12)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp ou telegram: 13-92000-2399
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: redemacuco@protonmail.com

 

Um comentário sobre "Procrastinar é sumir. Por Lindrielli Rocha Lemos"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 1 =