Por que “Tentei” emociona crítica e público

curta-metragem_tentei_cena_do_filme

Curta-metragem que recebeu três prêmios no Festival de Brasília mostra o quanto a violência contra mulher machuca, mas ainda é relativizada

Por Wagner de Alcântara Aragão e Lindrielli Rocha

Menos de um mês depois de receber três prêmios na 50ª edição do Festival de Brasília, o curta-metragem “Tentei” foi exibido pela primeira vez ao público na noite desta sexta-feira, 20 de outubro, em cinedebate em Curitiba.

O evento foi promovido pelo coletivo PartidA Curitiba, em parceria com as realizadoras do filme e com o Estúdio Delírio.

O contato com o curta na telona e, mais que isso, a reação dos espectadores ao assistirem e ao refletirem sobre a obra, depois da exibição, mostram por que “Tentei” impressionou a crítica. E por que emociona o público.

Emociona porque, infelizmente, traz à tona uma realidade silenciada.

A equipe de produção é composta majoritariamente por mulheres, e isso fez toda a diferença na narrativa. “Tentei” é um filme feminista; cumpre o papel social de denunciar a violência e preserva as mulheres de mais exposições de seus corpos e emoções.

Sem cenas de violência explícita, mas que ao mesmo tempo denotam toda a violência de que é vítima Glória, a protagonista, o curta-metragem mostra a realidade de milhões de mulheres brasileiras.

“Tentei” pode, numa primeira análise, parecer um filme pessimista, mas ele retrata a prova de obstáculos que uma mulher precisa vivenciar para tentar sair de uma situação de violência, e realmente é muito difícil, principalmente quando quem deveria ajudar acaba violentando. O filme transmite a dor e angústia dessas mulheres, inclusive quando elas tentam denunciar a violência para se livrar, se libertar do opressor (e da opressão).

O silêncio de Glória, protagonista do filme, deu voz e força a muitas mulheres durante o debate. Os depoimentos comprovaram que “Tentei” mexe com uma anomalia que a sociedade reluta em encarar como recorrente, grave, traumática, desumana, e que por isso mesmo não enfrenta e combate o problema com a devida seriedade e sensibilidade.

Integrantes da equipe que realizou o filme conversaram com a Rede Macuco ao término do debate. A ideia do grupo é se mobilizar para levar o filme a um maior número possível de pessoas, promovendo exibições e debates públicos por todos os cantos do país.

“Tentei” levou os prêmios de melhor curta-metragem, melhor atriz e melhor fotografia. A obra foi produzida pela Gesto de Cinema.

CONFIRA TAMBÉM:


GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você. Nossa conta: Caixa – Agência 1525 Op. 001 Conta Corrente 000022107 (Wagner de Alcântara Aragão, mantenedor da Rede Macuco)
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho. Entre em contato pelo whatsapp ou telegram: 41-99196-3498
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: waajornalista@gmail.com

Livro coletânea de post dos dez primeiros anos (2005-2015) do Macuco Blog. São textos rápidos, leves, que retratam momentos históricos nas áreas de cultura, esportes, política, economia, curiosidades. Clique aqui para obter um exemplar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 6 =