Liniker e Os Caramelows na Europa: música, arte e manifesto na bagagem

O baixista Rafael Barone concedeu entrevista ao Brasil Observer/Rede Macuco, antes de o grupo embarcar para turnê de 11 shows em seis cidades diferentes no Velho Continente

Por Wagner de Alcântara Aragão, para o Brasil Observer

Menos de dois anos depois do EP “Cru”, lançado pela internet e que, pelo sucesso e visibilidade, colocou o grupo no circuito musical brasileiro, “Liniker e os Caramelows” realizam em junho sua primeira turnê internacional. Em 20 dias, serão 11 shows em igual quantidade de cidades, de seis diferentes países da Europa.

Não é necessariamente a primeira vez que a turma se apresenta fora do Brasil – em março, a banda participou de um festival nos Estados Unidos. Mas a agenda europeia se estabelece como marco na história do sexteto. Além de extensa, foi estrategicamente garimpada, conforme explica em entrevista ao Brasil Observer o baixista Rafael Barone.

O músico ressalta ainda que, além de música e muita arte, “Liniker e os Caramelows” levam para o público que está na Europa posicionamento político também. Em tempos de tanta conturbação da história do Brasil, em momentos de tanta incerteza para a nação brasileira, “Liniker e os Caramelows” consideram fundamental expressar o que pensam, o que defendem política e socialmente. “Isenção” não é com eles.

Confira a entrevista, concedida por e-mail, uma semana antes de o grupo embarcar para a turnê

BRASIL OBSERVER | Como foi o processo de elaboração dessa turnê – agenda, escolha das cidades/países, definição de datas? É a primeira turnê internacional de vocês – ou, pelo menos, a mais extensa?
RAFAEL BARONE (baixista de Liniker e os Caramelows) | Desde que lançamos o EP “Cru” e vimos a repercussão no exterior, monitoramos alguns dos países [dos quais] mais se acessavam os [nossos] vídeos e também de onde nos pediam shows. Estávamos esperando alguma data especial e a aprovação na programação do Primavera Sounds foi a desculpa perfeita para iniciarmos a turnê. Já havia conversas com duas agências de lá, a Bacana, fazendo Europa em geral, e a Ao Sul do Mundo, que faz Portugal. A partir daí iniciamos a busca pelas melhores datas em cidades estratégicas como Barcelona, Madrid, Paris, Berlim, Londres, Lisboa, Porto. Essa é de fato nossa primeira tour internacional, sendo que nossa primeira viagem internacional foi em março deste ano, para três shows no festival SXSW,nos Estados Unidos.

BRASIL OBSERVER | O que o público pode esperar dessa turnê, em termos de repertório, espetáculo? Alguma coisa preparada especificamente para a turnê?
RAFAEL BARONE | Para essa tour vamos levar duas novas músicas no repertório, um cover instrumental da banda Black Rio, e uma música nova, já desenhando o que possivelmente será o novo disco – mas é muito cedo ainda pra falar disso. Também vamos com novos figurinos e banda completa, os nove nos palcos da Europa.

BRASIL OBSERVER Pelo que vocês projetam até o momento, o público deve ser composto essencialmente por brasileiros que estão na Europa, ou a tendência é ter presença significativa de público local também?
RAFAEL BARONE | Acreditamos que o público será distinto, de acordo com cada data. Em algumas capitais como Paris, Londres, Berlim, boa parte do público deve ser de brasileiros. Em algumas datas que serão festivais, como Barcelona e Braga, teremos majoritariamente outros públicos que não os brasileiros, mas sabemos que em todas a datas teremos muitos conterrâneos calorosos pra nos receber.

BRASIL OBSERVER | Para o show em Londres, 9 de junho, quais as expectativas? Que recado, desde já, vocês podem deixar pro público que está na Inglaterra?
RAFAEL BARONE | Nossa passagem por Londres será muito rápida dessa vez; não conseguiremos vivenciar a cidade e essa cultura que nos inspira tanto (sobretudo os rockeiros da banda). Então é aproveitar de conta-gotas cada minuto que estivermos por aí, sabendo que voltaremos em breve e, quem sabe, passando por várias outras cidades do Reino Unido.

BRASIL OBSERVER | Essa turnê ocorre num momento bastante conturbado da vida brasileira. “Lineker e os Caramelows” se caracterizam por se posicionarem política e socialmente. Esperam que os shows dessa turnê, de certa forma, catalisem anseios dos brasileiros que estão longe do país, mas que estão acompanhando e sentindo a desordem política e social com atenção?
RAFAEL BARONE | Com certeza será um momento de catalisarmos nossas energias e nos posicionarmos. Todos nós brasileiros, não só os que vivem no país, sabemos bem o quão conturbado e perigoso é este momento. Precisamos deixar clara nossa posição a favor de muito mais transparência nos três poderes. Contra toda essa cultura de corrupção que é estrutural em nosso país. Contra esse governo que tomou o poder por intermédio de um golpe muito bem articulado pela direita aliada a interesses de grandes empresários e a mídia que mascara muito bem tudo isso para grande parte da população brasileira.

BRASIL OBSERVER | Essa conturbação não chega a ser exclusividade brasileira – em maior ou menor grau, países da Europa também enfrentam convulsões. O reacionarismo ascende por lá também. A presença e a atuação de vocês por lá, por tudo que vocês representam, são uma forma também de reafirmar essa resistência ao avanço do reacionarismo, da extrema direita conservadora, fascista?
RAFAEL BARONE | Nos últimos anos as pautas da esquerda vêm ganhando mais força no mundo todo. Cada vez mais indivíduos se posicionando contra o racismo, xenofobia, homofobia, transfobia, machismo, contra a fome, a favor da dignidade humana e outras tantas lutas que são enfrentadas no dia a dia da maioria da população mundial. Esse movimento da direita eu vejo muito como uma reação a todos os avanços que vêm sendo feitos. Acho, sim, que teremos grandes embates sociais, principalmente pelo uso de força bruta por partes dessas oligarquias invisíveis, mas não iremos dar um passo atrás.

BRASIL OBSERVER | Fique à vontade para fazer observações outras que considerar necessárias; deixar algum recado pro público etc.
RAFAEL BARONE | A gente está levando na nossa malinha de mão um bocado do calor brasileiro que eu imagino que faça tanta falta a todos os brasileiros em Londres. Comecem desde já os alongamentos e preparem o coração que vamos dançar muito e também nos emocionar muito juntos!

Turnê “Liniker e os Caramelows” na Europa

  • 02/06 Barcelona (Espanha) – Primavera Sound Festival
  • 06/06 Paris (França) – Cabaret Sauvage. Com DJ Thy San (Rosa Bonheur)
  • 07/06 Colônia (Alemanha) – Yuca
  • 08/06 Berlim (Alemanha) – Bi Nuu. Com DJ Grace Kelly
  • 09/06 Londres (Inglaterra) – Rich Mix London
  • 10/06 Erfurt (Alemanha) – Franz Mehlhose
  • 14/06 Porto (Portugal) – Casa da Música. Com Aeromoças e Tenistas Russas
  • 15/06 Lisboa (Portugal) – Musicbox Lisboa. Com Aeromoças e Tenistas Russas
  • 17/06 Braga (Portugal) – Theatro Circo
  • 20/06 Madrid (Espanha)
  • 22/06 Karlsruhe (Alemanha) – Kulturzentrum Tollhaus Karlsruhe

——–

GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você.
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho.
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: waajornalista@gmail.com

——–

O resgate do Carnaval de Santos contado em um livro reportagem. Clique aqui para obter um exemplar

O resgate do Carnaval de Santos contado em um livro reportagem. Clique aqui para obter um exemplar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 2 =