Até domingo, um convite para se passear pela história

A 15ª Semana Nacional de Museus envolve instituições em 480 cidades em todo o país, e um total de 3 mil atividades com o intuito de despertar no povo o interesse por visitar esse tipo de espaço

Por Letycia Bond, repórter da Agência Brasil

Mais de 480 cidades de todo o país iniciaram nesta segunda-feira, 15 de maio, as cerca de 3 mil atividades da 15ª Semana Nacional de Museus, que prossegue até domingo (dia 21).

Criado em 2003, o evento comemora o Dia Internacional de Museus, que ocorre nesta quinta-feira (18). Este ano, a semana nacional tem como tema “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”.

A programação completa do evento pode ser conferida em http://guiadaprogramacao.museus.gov.br/. É possível fazer busca por cidade e por instituição. A pesquisa é bem fácil e rápida. [Na foto, o Museu do Café, no Centro Histórico de Santos]

Neste mês também começa o 7º Fórum Nacional de Museus, que terá como tema central a Recomendação da Unesco Referente à Proteção e Promoção de Museus e Coleções, aprovada em 2015 por iniciativa do Brasil. Com três conferências internacionais, o fórum será realizado em Porto Alegre, de 30 de maio a 4 de junho. O site oficial é http://fnm.museus.gov.br/.

SUCESSO

A Semana Nacional de Museus, que tem como objetivo ampliar o acesso e o envolvimento da comunidade a esse tipo de equipamento, tem trazido resultados expressivos. A última edição registrou um aumento de 79% de público, em relação ao ano anterior. A adesão dos museus alcança 28,5%, com um total de 1.070 serão participantes. O país conta com 3.749 locais de natureza museológica, de acordo com a plataforma Museus BR, do Ministério da Cultura (MinC).

Os dados são especialmente relevantes ante a redução de recursos destinados às instituições dessa natureza. O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que elabora relatórios setoriais desde 2011, revela uma queda de R$ 40.928.821 nestes valores em 2015 com relação ao ano anterior.

Os valores analisados são relacionados aos captados pela Lei Rouanet ou a unidades orçamentárias de sistema do MinC, que abrange o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), a Agência Nacional do Cinema (Ancine), Fundação Casa de Rui Barbosa, Fundação Cultural Palmares, Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Fundação Biblioteca Nacional.

Levantamentos da autarquia, responsável por administrar diretamente 30 instituições museológicas, indicam ainda que, em 2015, do total de R$ 307.412.866, R$ 7.034.150 foram provenientes do MinC e R$ 54.151.218, repassados pelo Ibram. Em 2014, os valores foram R$ 9.548.137 e R$ 57.347.185, respectivamente.

A pesquisa de 2015 é a mais recente apresentada pelo Ibram. Conforme esclarecimento do instituto, o período de coleta é iniciado em abril e o de apuração ocorre de julho a agosto. A divulgação é, em geral, feita em setembro de cada ano.

Segundo a presidente do núcleo brasileiro do International Council of Museums (Icom) [Conselho Internacional de Museus, em tradução livre], Maria Ignez Mantovani Franco, a redução de recursos no setor museológico é um traço global, não sendo uma exclusividade do Brasil. Ela esclarece que um dos desafios, nos últimos 20 anos, tem sido o de reconhecer “a importância da ressignificação de acervos e encontrar caminhos de sustentabilidade”.

A maior duração das exposições, agora em menor número nos museus, seria um dos efeitos do novo cenário. A governança, a diversificação de fontes de sustentabilidade e o aprimoramento da gestão seriam ferramentas de solução. Para ela, é crucial “incentivar que museus consigam reagir, que não se fechem, não fiquem ensimesmados, que se abram ao diálogo público”.

Questionada sobre o tema escolhido para o evento, ela afirma ser “corajoso”. “O que se espera hoje é que o museu não seja um ponto neutro. Hoje, o museu deve ser um território de pacificação de conflitos”, defendeu.

——–

GOSTOU DO MACUCO?

Ajude a gente a se manter e a continuar produzindo conteúdo útil. Você pode:

  • Ser um assinante colaborador, depositando qualquer quantia, com a frequência que for melhor pra você.
  • Ser um anunciante, para expor seu produto, ou serviço que você oferece. A gente faz plano adequado à sua condição financeira, baratinho.
  • Para mais informações sobre qualquer uma das opções, ou se quiser colaborar de outra forma, escreva pra gente: waajornalista@gmail.com

——–

O resgate do Carnaval de Santos contado em um livro reportagem. Clique aqui para obter um exemplar

O resgate do Carnaval de Santos contado em um livro reportagem. Clique aqui para obter um exemplar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 3 =